» Aprendendo sobre acne » Como se forma a acne?

Considerações iniciais

A acne começa na adolescência e se resolve em média na 2ª década da vida; entretanto, alguns pacientes ainda apresentarão sintomas após a idade de 35 anos ou mais (cerca de 1% da população masculina e 5% da feminina).
 
Existe uma influência genética na evolução da acne, que pode ser ampliada ou diminuída por fatores raciais e ambientais.

História natural da evolução da acne

As lesões da acne são decorrentes da obstrução dos folículos pilossebáceos, em decorrência de:
 
  aumento da produção e secreção sebácea;
  hiperqueratinização com obstrução do folículo pilossebáceo e proliferação e ação das bactérias;
  reação inflamatória local.

Envolve 4 fatores:

Hipercornificação ductal

O aumento da camada córnea da pele (a parte mais superficial e lisa) composta pelos queratinócitos pode ser estimulado pelos hormônios masculinos (andrógenos) e pelo efeito de irritação causado pelos lipídeos ("gorduras").

O efeito de irritação dos lipídeos ocorre quando estes se movem através do ducto, e o acúmulo dos lipídeos leva à formação de comedões abertos (cravo preto) ou fechados (cravo branco).
 
 

Aumento da secreção de sebo

A atividade seborreica é dependente dos hormônios sexuais masculinos.

O aumento de produção do sebo além de estar relacionado com o aumento de produção do hormônio, depende também da quantidade de receptores existentes nas células dos órgãos (chave e fechadura!). Se você quiser entender melhor, participe posteriormente do módulo sobre hormônios e receptores.

Microorganismos (bactérias)

Propionybacterium acnes (P. acnes)
Propionibacterium granulosum
Propionibacterium avidum
Staphylococcus epidermides
Malassezia furfur (Pityrosporum)

Inflamação

Resulta de substâncias (mediadores biologicamente ativos) produzidas pelo P. acnes, que se difundem no folículo. Exemplo das substâncias:

enzimas que incluem três proteases, interleucinas e citocinas;
lipases;
fatores quimiotáticos.

Características importantes:
 
  Admite-se que as glândulas sebáceas dos indivíduos portadores de acne apresentam níveis de secreção maior que a dos não portadores.
 
  Nas áreas acneicas, as glândulas sebáceas dos folículos pilossebáceos caracterizam-se por estarem hipertrofiadas e o pêlo atrofiado. Assim, a oleosidade é eliminada, distribuindo-se uniformemente em fina camada sobre a pele, conferindo aspecto brilhante.
 
  A secreção sebácea depende da ação de hormônios androgênicos, que regulam a produção do sebo. É por este motivo que na puberdade, período em que ocorre aumento repentino destes hormônios, observamos a hipertrofia da glândula e aumento de sua secreção.
 
  Devido a uma predisposição genética, ocorre um espessamento (hiperqueratinização) no folículo pilossebáceo, que associada ao sebo, forma uma massa no interior do canal. Isto gera o comedão (cravo) que pode ser aberto (cravo preto) ou fechado (cravo branco).
 
  As bactérias atuam sobre o sebo acumulado e favorecem a inflamação da pele, formando lesões avermelhadas, doloridas e com pus. A principal bactéria envolvida chama-se Propionibacterium acnes (P. acnes) que está normalmente presente na pele de todas as pessoas, mas em maior quantidade nas que apresentam acne.

Saúde Total.com ® 2004