home aviso  
artigos eventos noticias links profissionais    
 

Medicina Tradicional Chinesa Efeitos colaterais de ervas chinesas

 

Efeitos colaterais são aquelas reações secundárias, consideradas indesejáveis, decorrentes do uso de ervas ou medicamentos alopatas. No caso das ervas, essas reações não são devidas nem à toxicidade (pois elas ocorrem em doses bem abaixo de níveis tóxicos), nem a reações alérgicas, e não necessariamente se consegue evitar, por meio de um diagnóstico clínico correto ou seleção de ervas, devido à imprevisível sensibilidade individual dos pacientes aos componentes das ervas.

É importante ressaltar que, além das reações que serão descritas nessa apresentação, os pacientes podem apresentar alterações que, na cultura chinesa, diferentemente da ocidental, não são consideradas efeitos colaterais como, por exemplo, alteração na cor das fezes, urina e odores do corpo. As ervas também podem causar algumas reações que são esperadas como parte do efeito terapêutico. Por exemplo, no tratamento de uma doença aguda, uma fórmula herbácea pode ser administrada com o propósito de induzir à transpiração.

A seguir, apresentaremos uma conteúdo a respeito dos principais efeitos colaterais das ervas chinesas apresentadas pelo Dr. Toyohiko Kikutani no "International Journal of Oriental Medicine (15:4, 1990)". À este conteúdo foram adicionados alguns comentários, desdobramentos e modificações.

O Dr. Toyohiko Kikutani é doutor em medicina pela Escola de Medicina da Universidade de Tokyo e uma autoridade em medicina ocidental e oriental. Possui numerosas publicações científicas em jornais médicos japoneses. Sua longa experiência clínica no uso das terapias ocidental e chinesa é uma referência valiosa para os médicos ocidentais e chineses.

As ervas e fórmulas para o alívio da superfície podem produzir prurido cutâneo ou rashes como resposta à vasodilatação superficial e à presença de óleos com ações irritantes. De acordo com o Dr. Kikutani, as ervas potencialmente capazes de produzir tais reações são Caule da Canela, Ma-Huang, Chiang-Huo, Tu-Huo, Siler, Schizonepeta e Folha da Perilla. As cinco últimas ervas citadas são usadas preferencialmente como substitutos de Caule da Canela e Ma-Huang. As ervas para o alívio da superfície como Siler e Schizonepeta são freqüentemente usadas em fórmulas para tratar rashes.

As ervas diuréticas podem induzir à diurese freqüente e constipação, através da remoção de água dos intestinos. As principais ervas diuréticas são Hoelen, Polyporus, Stephania, Alisma e estudos recentes demonstraram que Atractylodes possui um efeito diurético importante.

As ervas vitalizantes do sangue podem causar aumento de sangramento uterino, incluindo sangramento entre os períodos menstruais. As ervas Moutan, Persica, Peônia Vermelha, Cártamo, Ruibarbo e Tang-Kuei são freqüentemente encontradas nas prescrições vitalizantes do sangue e podem contribuir para essas reações. As ervas vitalizantes do sangue são usadas comumente para tratar sangramentos, de acordo com a teoria de que a estase sangüínea leva ao sangramento. Também as ervas vitalizantes de propriedades fria, como Ruibarbo, Peônia Vermelha e Moutan removem o calor do sangue, o que, em alguns casos, é considerado uma causa de sangramento.

As fórmulas para nutrir o sangue podem causar perda de apetite, náuseas, perda de fezes ou vômitos. As ervas que mais freqüentemente causam essas reações são Tang-Kuei, Cnidium, Zizyphus e Rehmannia cozida devido à presença de componentes oleosos pesados nas mesmas. Esses efeitos podem ser contrabalanceados, em alguns casos, pela inclusão de ervas aromáticas como Aquilária, Cardamomo, Citrus ou Gengibre nas fórmulas.

As fórmulas purgativas podem causar cólicas abdominais, fezes soltas ou diarréia. Ruibarbo é a principal erva purgativa da Medicina Chinesa. Existem ervas purgativas alternativas como Folha do Sene, Aloés e Prunus. Há também ervas usadas para outros fins, como Gardênia, Persica, Semente de Damasco, Mirabilitum e Bupleurum que acabam gerando uma ação purgativa e os efeitos colaterais já citados. Ervas que contêm glicosídeos de antraquinona (uma importante classe de componentes purgativos) como Ho Shou Wu podem causar cólicas abdominais suaves e fezes soltas.

As fórmulas purgativos do Fogo podem causar perda de apetite ou fezes soltas. As ervas Coptis, Gardênia, Forsythia, Genciana e Rehmannia Crua podem causar tais efeitos. A erva Genciana é de interesse particular dos médicos chineses, pois ela freqüentemente causa reações em pacientes com várias síndromes de deficiência. Deve-se levar em consideração que a maioria das ervas que removem o calor, usadas para remover toxinas, não produzem essas reações adversas.

Fórmulas para dispersar calafrios e tonificar o Yang podem causar sensações de febre, cefaléia, epistaxis, palpitações, opressão no peito ou hiperatividade. Caule da Canela, Acônito e Evodia são exemplos de ervas para dispersar calafrios que podem produzir tais efeitos. A erva Coptis é acrescentada em algumas prescrições com o intuito de contrabalancear essas reações. É importante ressaltar que algumas reações podem ser evitadas através de um diagnóstico correto, pacientes com desequilíbrio no sistema do Rim podem desenvolver respostas imprevisíveis a ervas para tonificar o Yang como Chifre do Cervo, Morinda ou Cucúligo.

Minerais podem causar desconforto gástrico, perda de apetite e dores musculares. Gipsita é um mineral comumente usado capaz de produzir tais efeitos. Certas substâncias que contêm muitos minerais como algas e conchas marinhas também podem inibir a função gástrica e causar alguns distúrbios quando usadas em altas dosagens. Esses efeitos podem ser contrabalanceados, até certo ponto, pela inclusão de broto de trigo ou cevada, Alcaçuz (não sugerido para algas marinhas) ou ervas condimentadas, como Rabanete ou Mostarda.

Fórmulas contendo Ma-Huang podem produzir taquicardia, insônia, elevação da pressão sangüínea ou transpiração excessiva. Pessoas hipersensíveis à esta erva podem apresentar tais reações com doses relativamente baixas. O componente ativo principal de Ma-Huang é a Efedrina. Ela também é encontrada na erva Pinellia. Conseqüentemente, prescrições contendo uma quantidade elevada de Pinellia podem trazer reações semelhantes para aqueles pacientes sensíveis a Ma-Huang. Existem ainda ervas, como a Periploca e Cynanchum, contendo glicosídeos cardiotônicos, que podem causar palpitações ou arritmias (uma reação tóxica quando uma quantidade elevada for utilizada).

Fórmulas ricas em saponina podem causar cefaléias, nervosismo, sangramento espontâneo e alterações no apetite. Bupleurum, Platycodon e Ginseng são exemplos de ervas ricas em saponina. Vários remédios populares na China para tratar artrite contêm ervas com concentração elevada em saponinas.

Fórmulas ricas em polissacarídeos podem causar empachamento abdominal, flatulência ou fezes soltas. As ervas Astrágalo e Ganoderna podem causar tais reações. É devido a experiência do uso de Astrágalo que se atribuiu a idéia de que ervas para tonificar o Qi podem causar uma síndrome de estagnação em indivíduos com má difusão do Qi central. Polissacarídeos em alguns membros de Leguminosas como Alcaçuz, Albizzia, Erythrina, Soja, Dolichos e Sophora podem causar efeitos similares. Citrus, Gengibre, Cardamomo ou outras ervas condimentadas podem ajudar a contrabalancear tais reações.

Fórmulas contendo grandes quantidades de Alcaçuz podem causar desequilíbrio de sódio e potássio resultando em edemas, palpitações ou arritmias. Esses efeitos são produzidos pela Glycyrrhizin, presente na erva Alcaçuz que promove uma produção adrenal de aldosterona. Entretanto a erva Alcaçuz em forma processada, usada em doses muito elevadas na aplicação clínica chinesa na Combinação de Alcaçuz Tostado, é prescrita para o tratamento de irregularidades cardíacas. O desequilíbrio de sódio e potássio também pode ocorrer em terapias que produzam efeitos diuréticos ou laxativos.

Fórmulas para influenciar hormônios podem causar alterações no ciclo menstrual: duração, quantidade de sangramento, sangramento no meio do ciclo ou alterações de fertilidade. Ervas como Ginseng, Tang-Kuei, Chifre do cervo, Epimedium e Bupleurum podem influenciar nesse sentido e essas reações podem estar associadas a seus usos.

Algumas ervas podem causar alterações na glicemia durante a primeira ou segunda hora após sua ingestão, produzindo sensações de tontura ou fome. As ervas Xanthium, Platycodom e Folha da Amora podem causar esses efeitos e por isso, não são indicadas para tratar diabetes.

Substâncias gelatinosas rígidas, como as encontradas em tartaruga e seu casco, chifre do cervo, gelatina da pele do asno e bexiga natatória dos peixes podem causar cólicas intestinais baixas devido ao desequilíbrio da flora intestinal e digestão deficiente decorrente da digestão bacteriana adversa dessas substâncias nos intestinos.

Os efeitos colaterais decorrentes do uso de ervas quase sempre desaparecem ou melhoram sensivelmente dentro de 24 horas após cessar o uso das mesmas. Uma alteração na prescrição, sem uma mudança significativa no princípio terapêutico, pode freqüentemente ser feita a fim de se eliminar ou minimizar os efeitos colaterais.

A seguir, apresentaremos uma relação das ervas citadas nesta seção sobre efeitos colaterais e em quais fórmulas da Pro-Botanixx elas são encontradas.

As fórmulas devem ser analisadas considerando o seu conjunto, ou seja, entre suas ervas componentes existem aquelas que apesar de seu efeito terapêutico, são potencialmente capazes de produzir efeitos colaterais, aquelas que possuem efeitos aditivos, sinérgicos, aquelas que possuem efeitos de equilibrar e harmonizar a fórmula e aquelas ervas que podem estar presentes para neutralizar possíveis efeitos colaterais de alguns componentes.

Tabela 1: Ervas que podem produzir prurido ou rash cutâneo.

Nome comum Nome em latim Fórmula encontrada
Caule da Canela Cinnamomi Ramulus AR-125, AS-135, BC-147, DI-221, GL-325, LI-485, ME-523, NA-551, PA-621, PA-623, PR-681, RE-699.
Ma-Huang Ephedrae Herba AS-135, AS-137, CO-195, NA-551, PA-621, WT-911.
Chiang-Huo Notopterygii Rhizoma AL-113, AR-125, AR-127, HA-341, PA-621, PA-623.
Tu-Huo Angelicae Tuhuo Radix AR-125, HA-341.
Siler Ledebouriella e Radix AL-113, AR-127, HA-341, IM-401, PA-623, SK-741, WT-911.
Schizonepeta Schizonepetae Herba CO-197, WT-911.
Folha da Perilla Perillae Folium CO-195.

Tabela 2: Ervas que podem produzir diurese freqüente e constipação.

Nome comum Nome em latim Fórmula encontrada
Hoelen Poria DI-221, GL-325, HB-345, LI-485, PA-623, PM-637, PR-681, RE-699, SL-749.
Polyporus Polyporus DI-221.
Stephania Aristolochiae Fangchi Radix PA-623, WT-911.
Alisma Alismatis Rhizoma CR-201, CY-207, DI-221, HB-345, LD-477, PR-681, WT-907.
Atractylodes Atractylodis Lanceae Rhizoma AR-127, DI-221, EN-261, GL-325, IM-401, LI-485, ME-523, PA-623, PM-637, PR-681, WT-911.

Tabela 3: Ervas que podem causar aumento de sangramento uterino.

Nome comum Nome em latim Fórmula encontrada
Moutan Moutan Radicis Cortex PM-637, PR-681, SK-741.
Persica Persicae Semen BC-147, PA-623, PR-681, TR-797.
Peônia Vermelha Paeoniae Rubra Radix BC-147, CO-195, SK-741, VA-841.
Cártamo Carthami Flos BC-147, VA-841.
Ruibarbo Rhei Rhizoma CR-201, GI-337, HE-349, ME-523, PR-681, RE-699, TR-797, UI-821, WT-907, WT-911.
Tang-Kuei Angelicae Radix AR-127, BC-147, BO-163, CY-207, EN-261, GL-325, HA-341, HE-349, LD-477, LI-485, MA-551, ME-523, PA-623, PM-637, TR-797, WT-911.

Tabela 4: Ervas que podem causar perda de apetite, náuseas ou vômitos e ressecamento das fezes.

Nome comum Nome em latim Fórmula encontrada
Tang-Kuei Angelicae Radix AR-127, BC-147, BO-163, CY-207, EN-261, GL-325, HA-341, HE-349, LD-477, LI-485, MA-551, ME-523, PA-623, PM-637, TR-797, WT-911.
Cnidium Ligustici Rhizoma AL-113, AR-127, BC-147, CO-195, GL-325, HA-341, LD-477, LI-485, ME-523, NA-551, PA-621, PA-623, SL-749, TR-797, VA-841, WT-911, ST-YSP.
Zizyphus Zizyphi Spinosi Semen SL-749.

Tabela 5: Ervas purgativas que podem causar cólicas abdominais, fezes soltas ou diarréia.

Nome comum Nome em latim Fórmula encontrada
Ruibarbo Rhei Rhizoma CR-201, GI-337, HE-349, ME-523, PR-681,RE-699, TR-797, UI-821, WT-907, WT-911.
Ho Shou Wu Polygonum Multiflori Radix CR-201, WT-907.
Gardênia Gardeniae Fructus CY-207, GI-335, HB-345, LD-477, PM-637, SK-741, UI-821, WT-911.
Persica Persicae Semen BC-147, PA-623, PR-681, TR-797.
Semente do Damasco Armeniacae Semen AS-137.
Mirabilitum Natrium Sulfuricum PR-681, WT-911.
Bupleurum Bupleuri Radix AL-113, BC-147, CY-207, EN-261, HE-349, LD-477, RE-699, TR-797.

Tabela 6: Ervas que podem produzir perda de apetite ou fezes soltas.

Nome comum Nome em latim Fórmula encontrada
Coptis Coptidis Rhizoma GI-337, ME-523, SL-749.
Gardênia Gardeniae Fructus CY-207, GI-335, HB-345, LD-477, PM-637, SK-741, UI-821, WT-911.
Forsythia Forsythiae Fructus CO-197, LD-477, SK-741, WT-911.
Genciana Gentiana Scabrae Radix CY-207, PA-623.
Rehmannia Rehmanniae Radix AR-127, BC-147, BO-163, CY-207, GL-325, LD-477, LI-485, LI-487, MA-511, PA-623, PR-681, SK-741, SL-749.

Tabela 7: Minerais e substâncias que podem causar desconforto gástrico, perda de apetite e dores musculares.

Nome comum Nome em latim Fórmula encontrada
Gipsita Gypsum Fibrosum WT-911
Osso de Dragão Draconis Os RE-699

Tabela 8: Ervas que podem causar taquicardia, insônia, elevação da pressão sangüínea ou transpiração excessiva.

Nome comum Nome em latim Fórmula encontrada
Ma-Huang Ephedrae Herba AS-135, AS-137, CO-195, NA-551, PA-621, WT-911.
Pinellia Pinelliae Tuber AL-113, AS-135, AS-137, RE-699.

Tabela 9: Ervas que podem causar cefaléia, nervosismo, sangramento espontâneo e alterações no apetite devido à presença elevada de saponina.

Nome comum Nome em latim Fórmula encontrada
Bupleurum Bupleuri Radix AL-113, BC-147, CY-207, EN-261, HE-349, LD-477, RE-699, TR-797.
Platycodon Platycodi Radix CO-197, LD-477, SK-741, WT-911.
Ginseng Ginseg Radix AL-113, AR-127, EN-261, GL-325, LI-485, MA-511, ME-523, RE-699, ST-SSP, ST-YSP.

Tabela 10: Ervas que podem causar empachamento abdominal, flatulência ou fezes soltas.

Nome comum Nome em latim Fórmulas encontradas
Astrágalo Astragali Radix AR-127, BC-147, EN-261, GL-325, IM-401, LI-485, MA-511.
Ganoderma Ganoderma IM-401.
Alcaçuz Glycyrrhizae Radix AL-113, AS-137, BC-147, CO-195, CO-197, CY-207, EN-261, GL-325, HA-341, HE-349, LD-477, LI-485, ME-523, MU-543, NA-551, PA-621, PA-623, PM-637, PR-681, SK-741, SL-749, TR-797, UI-821, WT-911.
Albizzia Albizziae Cortex SL-749
Sophora Sophorae Radix CY-207, SK-741.

Tabela 11: Ervas que podem causar alterações no ciclo menstrual, duração, quantidade de sangramento, sangramento no meio do ciclo ou alterações de fertilidade.

Nome comum Nome em latim Fórmulas encontradas
Ginseng Ginseng Radix AL-113, AR-127, EN-261, GL-325, LI-485, MA-511, ME-523, RE-699, ST-SSP, ST-YSP.
Tang-Kuei Angelicae Radix AR-127, BC-147, BO-163, CY-207, EN-261, GL-325, HA-341, HE-349, LD-477, LI-485, MA-551, ME-523, PA-623, PM-637, TR-797, WT-911.
Gelatina do Chifre do Cervo Cervi Colla Cornu MA-511
Epimedium Epimedii Herba IM-401, MA-511.
Bupleurum Bupleuri Radix AL-113, BC-147, CY-207, EN-261, HE-349, LD-477, PM-699, RE-699, TR-797.

Tabela 12: Ervas que podem causar alterações na glicemia, durante a primeira ou segunda hora após sua ingestão e produzindo sensação de tontura ou fome.

Nome comum Nome em latim Fórmulas encontradas
Platycodon Platycodi Radix CO-197, LD-477, SK-741, WT-911.

Tabela 13: Substância gelatinosa rígida que pode causar cólicas intestinais.

Nome comum Nome em latim Fórmula encontrada
Gelatina do Chifre do Cervo Cervi Colla Cornu MA-511

| voltar |

 
  Saúde Total © 1997~2010. Todos os direitos reservados.